Buscar
  • Sérgio Roberto Back

MEDIAÇÃO E ARBITRAGEM. UMA NOVA ERA NA DISTRIBUIÇÃO DA JUSTIÇA

Primeira Temporada - Série 001/2019 - Conversão em texto do vídeo com o mesmo título.


Um pai, muito sábio, vendo seus filhos brigarem para repartirem o que restava de uma saborosa torta, interveio dizendo:


- Você que é mais novo, vai cortar em dois pedaços.


Ao ver o sorriso maroto estampado no rosto do garoto, acrescentou:


- Você vai cortar, mas é o seu irmão quem vai escolher primeiro.


Não é preciso esclarecer que o garoto cortou a torta em pedaços tão iguais quanto lhe foi possível, para que seu irmão mais velho não pudesse escolher o pedaço maior.


Essa história me foi contada pelo Jornalista Mário Motta e dela sempre me lembro por que acredito que representa o verdadeiro espírito dos meios modernos e extrajudiciais de resolução de conflitos.


É isso que se busca nos métodos não adversariais.


O justo.


A forma de distribuição da justiça da Câmara SENSATUS foi inspirada no Vaticano, que conseguiu reunir, na mesma época, a grande tríade do Alto Renascimento. Enquanto Leonardo da Vinci pintava a Mona Lisa durante o período em que era estrategista de um nobre cardeal italiano, Michelangelo pintava o famoso teto da Capela Sistina, cabendo à Rafael pintar os afrescos das virtudes cardinais, dentre elas o da Justiça, a quem é atribuída a expressão em latim que, em tradução livre, pode ser assim definida: DAR A CADA UM O QUE É SEU.


Exatamente essa é a nossa missão: fazer com que o indivíduo deixe aflorar a grandiosidade de sua consciência e nela reconheça o que é justo. E é exatamente por isso que nossos métodos têm alcançado índices elevados de sucesso na solução das questões que nos são confiadas.


Os percentuais chegam a 87% de taxa de sucesso. Mas esses são dados universais. O Brasil, embora seguindo a tendência mundial, já aprimorou seus métodos e hoje é capaz de suplantar esses índices surpreendentes.


E o que falta?


Falta apenas conscientização.


O que é mediação? O que é conciliação? Qual a diferença entre ambas? Uma audiência de mediação judicial é a mesma coisa do que uma sessão de mediação extrajudicial? O que é arbitragem? Como ela pode ser instituída? Quais os benefícios, quais as vantagens?


Tudo isso e muito mais você vai saber aqui, em nossas redes sociais.


Conscientizar. É o que pretendemos fazer neste espaço, uma porta gigante aberta pela rede mundial de computadores que nos possibilita divulgar esses métodos de sucesso na solução do conflito, não para o advogado ou para os profissionais construtores do direito que já têm suas fontes de pesquisa, mas para a sociedade, para o empresário, para o cidadão, para o psicólogo, para o engenheiro, para o contador, enfim, para a comunidade como um todo; para aqueles que tem interesse em uma nova cultura: a cultura da paz.


Não perca. Estaremos aqui toda semana durante essa que é a nossa primeira temporada.


Prestigie-nos.


* Presidente da Sensatus - Câmara Internacional de Mediação e Arbitragem, entidade membro da International Chamber of Commerce em Paris; Presidente do FIMESC - Fórum Internacional de Métodos de Solução Consensual de Conflitos; Presidente da Comissão de Arbitragem e Diretor da Rede Internacional de Excelência Jurídica – RIEX-DF; Membro das Comissões de Mediação e de Arbitragem da OAB/DF; É Mestre de Excelência pela Rede Internacional de Excelência Jurídica. Tem capacitação em mediação e arbitragem no Brasil desde 2003 e especialização (atualização) em mediação com certificação por Harvard em 2015/2016. Advogado atuante em diversos ramos do direito, com clientes em todo o Brasil, conquistados ao longo de mais de 25 anos de carreira.


#arbitragem #mediação #conciliação #negociação #negociaçãoassistida #autocomposição #desjudicialização #métodosadequados #métodosalternativos #resolução #resoluçãodeconflitos #soluçãoconsensual #solução #soluçãoconsensual #soluçãodeconflitos #meioadequado #meioalternativo

16 visualizações