Quando as partes NÃO ESTÃO EM CONFLITO mas não conseguem chegar a um consenso, o NEGOCIADOR AUXILIARÁ aos interessados a compreenderem os pontos de convergência entre eles, de modo que possam identificar o ajuste adequado que gere  benefícios mútuos.

NEGOCIAÇÃO

Quando as partes não conseguem mais interagir, NUMA RELAÇÃO QUE ENVOLVE SENTIMENTOS (marido e mulher, sócios, vizinhos, parentes, amigos, etc.), o MEDIADOR AUXILIARÁ aos interessados a compreender as questões e os interesses EM CONFLITO, de modo que eles possam, pelo restabelecimento da comunicação, identificar, POR SI PRÓPRIOS, soluções consensuais que gerem benefícios mútuos.

MEDIAÇÃO

Quando as partes não conseguem interagir, NUMA RELAÇÃO QUE NÃO ENVOLVE SENTIMENTOS (vendedor e cliente, fornecedor e comprador, prestador e contratante do serviço, etc.), o CONCILIADOR PODERÁ SUGERIR SOLUÇÕES aos interessados, de modo que eles possam, POR SI PRÓPRIOS OU POR INTERMÉDIO DO CONCILIADOR, identificar ou aceitar soluções consensuais que gerem benefícios mútuos.

conciliação

Quando as partes, INDEPENDENTEMENTE DE A RELAÇÃO ENVOLVER OU NÃO SENTIMENTOS, não conseguem identificar ou aceitar soluções consensuais que gerem benefícios mútuos, DELEGAM A TERCEIRO (ÁRBITRO) a resolução extrajudicial do conflito.

ARBITRAGEM

 

Para enviar um caso?

 

Para instituir a conciliação?

 

Para instituir a arbitragem?

 

Para instituir a mediação?

 

Para instituir a negociação?

 

No caso de processo judicial?

Um árbitro deve ser como a onda do mar: livre e independente

Site - Outros meios2